Marketing esportivo em alta

Marketing esportivo em alta

O mercado esportivo cresce a cada dia e movimenta muito dinheiro ao redor do globo. Como outros setores, o esporte também está se adaptando às diversas plataformas com o objetivo de estabelecer uma comunicação direta com o seu público e multiplicar ainda mais os seus investimentos. E para fazê-los alcançar novas empreitadas, o Marketing Esportivo não pode ficar de fora desse jogo.

O que é

Marketing Esportivo é qualquer investimento realizado no ramo do esporte. O exemplo mais comum e conhecido pelo público é o patrocínio de atletas. No futebol, Neymar é o garoto propaganda da Gillette. No basquete, o jogador americano LeBron James é o queridinho da Nike. Mas essa não é única forma de se fazer Marketing Esportivo. Ações durante campeonatos e jogos, como shows, interação do mascote com o público e a venda de produtos personalizados, estão se tornando uma estratégia-chave para o reconhecimento das marcas.

Por que o Marketing Esportivo funciona?

A resposta é simples: porque esporte envolve paixão. O torcedor acompanha de perto o que acontece com o seu time do coração, e o Marketing Esportivo chega para fazer esse sentimento transbordar. Vamos pensar no patrocínio: as marcas buscam atletas que compartilhem dos mesmos valores que elas. Ao firmar o contrato, o jogador de futebol, por exemplo, se torna embaixador da tal marca, e a campanha estrelada por ele vai divertir ou emocionar o público. Como consequência, o torcedor fanático abraça a “causa” do seu ídolo. Além disso, não pensar duas vezes antes de adquirir produtos e participar de eventos relacionados à sua paixão.

Cases de sucesso

O case mais conhecido e, provavelmente, o de maior sucesso é o Super Bowl. O evento marca o fim da temporada da liga de futebol americano (NFL) e é um verdadeiro show. Durante o intervalo do jogo, uma atração musical de peso agita a torcida. O momento é considerado, inclusive, um dos espaços mais nobres da indústria da música. Para ficar mais claro, no Super Bowl de 2016, um comercial de TV durante a final custava 650 mil dólares por segundo de exibição.

E as ações de marketing do evento começam semanas antes. Marcas de todos os setores (automóveis, alimentos, cinema, produtos de higiene) criam produtos especiais para a final da liga. Essa estratégia funciona porque ao mesmo tempo em que o público do Super Bowl são os fãs de esporte, outros públicos, de diversas idades, acabam contagiados com o clima da final. Por fim, todo o país acaba acompanhando ou pelo menos entra em contato com algo relacionado ao evento.

Outro caso recente é o do clube de futebol italiano Juventus. Desde 2017, a Juventus vem reformulando suas estratégias de marketing. A logo do clube foi renovada, uma plataforma de vídeo on demand foi criada para os fãs internacionais com destaques do melhores jogos, games e conteúdo para o público infantil, além do lançamento de um documentário sobre os bastidores do time. E eles não pararam por aí: um aplicativo de realidade virtual foi mais uma das sacadas do clube. Recém-contratado pela Juventus, o português Cristiano Ronaldo já movimentou e fez subir as ações da equipe italiana na Bolsa de Valores de Milão. O craque tem uma das marcas mais fortes no mundo do esporte e vai alavancar as receitas da equipe.

Redesign marca Juventus

No Brasil

Em 2015, a marca de roupas masculinas Reserva realizou uma série de ações para se aproximar dos fãs de futebol. A principal delas foi fechar uma parceria com o estádio Maracanã e vestir o banco de reservas. Como? Assista o vídeo para entender:

A sacada partiu de uma brincadeira por conta da relação entre o nome da marca e do que o local representa. Além dessa ação, a marca carioca também criou a primeira linha de roupas oficiais do Maracanã e redesenhou os uniformes dos guias turísticos durante aquele período.

Recentemente a parceria com o estádio voltou a ativa para que a marca pudesse estampar novamente o banco de reservas. Além disso, a Reserva também fechou parceria para a sua linha masculina e infantil com o jogador Diego Ribas e o ex-jogador Zico. As coleções contam com frases e ilustrações dos ídolos.

Conectar-se com os fãs e torcedores, dentro e fora das redes sociais, oferecer conteúdo exclusivo e promoções em conjunto com outras marcas, desenvolver ações durante partidas, além da parceria de atletas com marcas, são só alguns dos exemplos de estratégias de Marketing Esportivo. Não podemos esquecer, é claro, que esporte desperta paixão. Alimentar esse relacionamento torcedor-atleta ou torcedor-clube é o início de uma boa ação de marketing.